Informativo AFPF de abril 2014

  • Editorial: até que enfim, boas notícias
  • Fotos do mês
  • Causo ferroviário: o misterioso sumiço da centenária Loco 221
  • Agradecimentos
  • Anote ai: eventos em abril
  • Em 30/04 comemora-se também
  • Nota de falecimento

Leia mais...

Informativo AFPF de fevereiro 2014

  • Editorial: O mundo dos trens vai além dos trilhos, vagões, locomotivas, passageiros...
  • Classificados
  • Um belo Exemplo de Preservação

Leia mais...

Informativo AFPF de fevereiro 2015

Estação Barão de Mauá (Leopoldina)

Leia no informativo da AFPF, Associação Fluminense de Preservação Ferroviária, artigos sobre:

  • Estação Barão de Mauá (Leopoldina): muitas promessas e nenhuma ação
  • A destruição do Ramal Niterói avança e chega na Estação Itambi
  • Foto do mês
  • Promessa cumprida
  • Convocação para AGE
  • Curiosidade ferroviária

Leia mais...

Associação Fluminense de Preservação Ferroviária elege sua nova Diretoria

Aconteceu em 9/3/2015, na sede da AENFER – Associação de Engenheiros Ferroviários - a Assembleia que elegeu a nova diretoria da AFPF – Associação Fluminense de Preservação Ferroviária. Foram eleitos para a Diretoria Luis Otavio de Oliveira (presidente), Antonio Pastori, Lucimar Fernandes e Helio Suevo. Para o Conselho Deliberativo foram eleitos Savio Neves (presidente), Ordilei Alves, Sandra Lopes e Genésio Pereira dos Santos.

Leia mais...

Informativo AFPF de dezembro 2014

Leia no informativo da AFPF, Associação Fluminense de Preservação Ferroviária, artigos sobre:

  • Trem é Turismo
  • Boa nova do IPHAN
  • Notinhas Expressas
  • Anote aí
  • Foto do mês
  • Fórum Cultural da Baixada Fluminense homenageou a AFPF com Diploma

Calendário próximas datas:

  • Dia 08/12/2014, as 16h:00 – Confraternização da AFL – Academia Ferroviária de Letras, na Estação Cosme Velho da E. F. do Corcovado
  • Dia 11/12/2014, das 11h:30 as 14h:30 – Confraternização Natalina da AENFER, no Espaço Cultural Carlos Lange de Lima na Av. Pres. Vargas 1733/ 7º andar – Centro.

Leia mais...

Forum Ferroviario

O meio preservacionista brasileiro é composto de uma grande quantidade de instituições diferentes, Clubes do Trem, Associação de Amigos, Associações e Movimentos de Preservação Ferroviária, algumas de atuação bem local, outras com pretensões de atuarem regionalmente, algumas com existência legal e fiscal, outras informais. O ambiente é extremamente fragmentado, o que não chega a ser de todo ruim.

Por muito tempo a sociedade brasileira ignorou ou deu pouca importância à questão da preservação de sua história e memória. Seus governos refletiram isso e nossa política pública para essa área é tíbia e oscilante. As organizações e os grupos que atuam na área tiveram que conviver com o desinteresse do Governo (nas três instâncias) e com a consequente falta de recursos, que, de certa forma, dura até hoje. Nesse cenário árido de oportunidades e recursos, a estrutura atomizada dos movimentos de preservação ferroviária pode tê-los ajudado a sobreviver.

No entanto, para crescer, o movimento ferroviário carece de uma representação formal frente aos poderes constituídos, algo que o qualifique para fazer propostas e projetos para e com as estruturas governamentais.

Nesse cenário é extremamente oportuna a iniciativa do IPHAN-RJ (Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional – Superintendência do Rio de Janeiro), de instituir o Fórum Permanente de Preservação do Patrimônio Ferroviário do Estado do Rio de Janeiro e de comprometer-se com a sua manutenção. Um espaço como este, dentro do aparelho estatal, abrigando todas as representações não governamentais, disposto ao acolhimento democrático de todas as tendências, é uma situação nova para estes movimentos. As relações com a Rede Ferroviária, com o Ministério dos Transportes, com a Agência Nacional de Transportes Terrestres, com os governos estaduais e municipais sempre foi difíceis e tensas.

O Forum pode tornar-se poderoso agente de aglutinação dos esforços para apoiar projetos de preservação e para promover pressões e ações políticas, legais e administrativas. Para que isto ocorra de fato é preciso caminhar e construir e não esperar. Nesse sentido o primeiro passo institucional foi a Plenária de Abertura do Fórum em outubro de 2014, que reuniu cerca de doze pessoas, representantes do IPHAN e das organizações de preservação ferroviária.

A plenária foi conduzida por Ivo Barreto, Superintendente do IPHAN no Rio de Janeiro, que apresentou os objetivos do Forum e a expectativa do IPHAN em relação a ele. Ficaram de ser elaborados pelo IPHAN dois documentos:

  • a Ata da Plenária de Abertura

  • Minuta de Resolução para a institucionalização do Fórum no nível do Governo do Estado

Dia 10 fev 2015 realizou-se a primeira reunião ordinária do Fórum abrindo-se com a fala do Superintendente dando conta da situação dos projetos.

Museu do Trem. As obras emergenciais estão sendo licitadas para serem incluídas no PAC e ficarem prontas até as Olimpiadas. O Museu se beneficiaria das milhares de pessoas que se dirigirem ao Engenhão. Quanto ao futuro, já está licitado o projeto do novo Museu do Trem. Guia de Pacobaíba. Existem ainda muitas dificuldades de articulação entre os envolvidos.

 

 

Informativo AFPF de agosto de 2014

Informativo AFPFLeia no informativo da AFPF, Associação Fluminense de Preservação Ferroviária, um artigo sobre a (i)Mobilidade Urbana na Região Metropolitana do Rio, que nos custou 29 Bilhões em 2013.

Leia mais...

FUVI0111ADANAUL
FREE Joomla! template "Adana"
joomla 1.6 templates by funky-visions.de